I – Mudanças.

Sala, cozinha, quarto, banheiro. Cômodos pouco espaçosos e sem luxo algum, que quando bem organizados e decorados se tornam extremamente aconchegantes. E isso nós soubemos fazer. Nunca fomos experts em design de interiores, no máximo sabíamos alguns projetinhos de “faça você mesmo” retirados da internet, mas realmente fizemos um bom trabalho. Não era de se esperar menos, né? Sempre formamos uma ótima dupla.

Você conhecia os meus gostos como ninguém – muitas vezes suspeitei que soubesse até mais do que eu! A prova disso era o papel de parede preto com bolinhas brancas que ocupava parte da micro-sala. Você sequer me consultou antes de colocá-lo, sabendo que minha aprovação seria instantânea. E foi mesmo. Foi ótimo voltar daquele final de semana no interior e encontrar parte do nosso cantinho renovado (e totalmente lindo).

Apesar de ser bastante desligada, acho que também sabia como te agradar às vezes. As minhas surpresas, no entanto, ficavam na cozinha. Ora pegava as dicas que você deixava no ar – tô com tanta vontade de comer lasanha! –, ora escutava o que a sua mãe dizia, como “ele sempre gostou de sopa de abóbora”. Lá ia eu pra internet buscar as receitas para colocá-las em prática. Obrigada por, indiretamente, me ensinar a cozinhar. Não seria saudável viver de miojo pro resto da vida.

Talvez esse seja o segredo para fazer de um lugar um lar de verdade. Não é necessário luxo ou mestres em carpintaria – até hoje não encontrei o manual daquela furadeira, inclusive. Basta saber o que vai fazer o companheiro feliz. Sorrisos espontâneos são ímãs para conforto. Risadas atraem climas gostosos. E nada disso faltou no tempo em que passamos juntos nesse espaço apertadinho. Aliás, o apartamento pode até ser pequeno, mas está recheado de histórias. As nossas histórias.

E agora eu estou aqui, encostada no batente da porta da frente, encarando nossa antiga casa. Os cômodos estão vazios. Papai e tio Luíz acabaram de descer com as últimas caixas da mudança e, fofos como são, entenderam que eu precisaria de alguns minutos sozinha antes de ir embora. Dá pra acreditar que isso tá mesmo acontecendo? A ficha ainda não caiu. Pra não dizer que nada do que fizemos ficará, deixei os armários da cozinha e do banheiro. Nós choramos por desconto, nós compramos, nós pintamos, nós pregamos nas paredes. Juntos. Apanhamos um pouco, mas conseguimos. E agora eles ficam. Não fique chateado, por favor. Esse acabou sendo o acordo feito com a dona Carmen: os armários em troca do último mês de aluguel. Não estou em condições de abrir mão de 450 reais – aham, o valor aumentou! –, por isso aceitei. Vejamos pelo lado bom: eles vão deixar o ambiente dos próximos inquilinos bem mais bonito!

Pois é, como você já deve ter percebido, algumas coisas aconteceram desde que você sumiu.

Vou voltar para o interior com os meus pais. O brechó onde compramos os armários fechou. O papel de parede rasgou enquanto eu tentava despregá-lo. A Ester está grávida. Aposto que você ficou feliz com a última parte, mas ainda tá pensando: por que ela vai voltar pro interior?! Tá preparado pra novidade bombástica? Então lá vai: PASSEI NAQUELE CONCURSO! NA CIDADE DOS MEUS PAIS! E agora você está pensando: sua mão de vaca! Passou em concurso e foi contra pagar o último mês de aluguel?! Lá vai outra novidade: meus pais estão reformando a casa e eu estou ajudando com alguns gastos. Agora mamãe terá um atelier pra fazer artesanatos! Uma maravilha, ela tá felizona. Não é a toa, vamos combinar. Daqui um mês tudo vai estar pronto e vamos fazer um churrasco pra comemorar. Adivinha quem vai? Seus pais! Na última vez que vi seu pai, nos abraçamos e vários ciscos entraram em nossos olhos. Desde então mantemos contato e ele confirmou presença. Ai dele se não for, viu?

Acabei de ouvir uma buzina e tenho quase certeza de que foi o tio Luíz. Talvez eu tenha ficado aqui parada mais do que alguns minutos… então, por enquanto é isso.

Aguardo ansiosamente o seu retorno.

***

Em meu primeiro post aqui no Agora v4i compartilhei com vocês que gosto de criar histórias. Bom. Essa é uma delas. Não é um texto recente – muito pelo contrário –, mas estive pensando muito nele ultimamente e na continuação que pretendo dar a essa trama, então senti vontade de compartilhá-lo com vocês. O nome que dei a essa série de contos é “Enquanto você não volta” e espero que gostem :3

Nos vemos no próximo post,

Nikki!

Anúncios

9 comentários sobre “I – Mudanças.

  1. Parabéns , adoro ler histórias que eu consigo imaginar a cena , e essa me fez imaginar cada detalhe , grande talento …. aguardo mais histórias:)

Comente <3

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s